Você verá que a emoção começa agora...
Agora é brincar de viver!
(Guilherme Arantes)





quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

ANDANTE EM ÁGUAS INTERNACIONAIS

 

Partimos do Oiapoque às 15h30 e agora seriam apenas 80 milhas até Iles du Salut, na Guiana Francesa. Pela primeira vez nos preparamos para adentrar em águas internacionais e a primeira providencia foi colocar a bandeira da França no estai de boreste… comemoramos! Uhuuuuuuu!

DSC08832

DSC08837

É um pouco tenso navegar por essa região, existem muitos barcos de pesca e muitas redes espalhadas, parece um labirinto, eles, os pescadores, cercam o mar e sinalizam com bandeiras, como vocês podem ver na foto abaixo e a gente tem que ficar fazendo caminhos alternativos para não passar em cima do material deles e o pior, enroscar no barco, no helice do motor. Já os pescadores não são nada simpáticos, ficam falando besteira no rádio o tempo todo e quando nos aproximamos de uma rede ficam chamando a gente como uns loucos por medo de cortarmos o material deles… mas quando nós os chamamos no rádio para perguntar algo sobre as redes, onde estão, onde começam, onde terminam… silêncio total… ninguém responde. Não foi fácil.

DSC08843

Olha ai o Andante entrando em águas internacionais, essa é a imagem de um programa de navegação que usamos. Mal passamos essa divisa e no rádio agora só se ouve falar em francês… Agora danou-se! Vixi Maria, tomara que ninguém chame a gente, também se chamar não vamos saber… rsrsrsrs… Caraca!

DSC08841

Pôr do Sol Internacional… ehehehehehe!

DSC08854

O Fer e eu fazemos turnos… durante o dia ficamos juntos no cockpit, fazemos comida, lemos, batemos papo, ficamos admirando a paisagem e a partir das 19h ou 20h iniciamos um revezamento em turnos com duração de 3h. Assim ficou legal, a gente consegue descansar e vigiar a noite toda. A lua apareceu bem tarde da noite, antes disso escuridão total… Aff! Dá um medinho… rsrsrsrsrsrs.

DSC08862

Chegamos a Iles du Salut às 6h da manhã com o Sol nascendo. Lindo visual!

DSC08864

DSC08872

As Iles du Salut são um conjunto de 3 ilhas, Ile St. Joseph, Ile du Diable e Ile Royale, que é onde estamos. Aqui funcionou, por mais de 100 anos, um dos mais cruéis sistemas penitenciários do mundo.

DSC08877

Desembarcamos e fomos explorar a Ile Royale, foi dada a largada para que nós começássemos imaginar tudo que se passou pelos lugares onde estávamos caminhando, por exemplo, no mesmo portinho onde desembarcamos ancorava o famoso navio Martinière, especialmente para desembarcar condenados vindos da França, a Guiana tornou-se um depósito de presos. Fiquei tentando imaginar o que se passava na cabeça desses desafortunados quando adentravam essa ilha, pelo mesmo caminho onde estávamos passando agora, na maioria da vezes pra nunca mais sair dela… é de arrepiar!

DSC08883

DSC08888

As ilhas são exuberantes, realmente muito bonitas e é estranho imaginar que aqui num passado não tão distante existiu um verdadeiro inferno. Quanta história… quanto sofrimento. Hoje as Ilhas se transformaram em atração turistica, mas é impossivel não sentir a energia do lugar.

DSC08890

DSC08917

Os macaquinhos vem comer na não…

DSC08925

Quando eu e o Fernando vimos esse prédio, já pensamos que daria um belo Bar do Português, com vista para o mar… Talvez por que estávamos com uma super sede e loucos pra tomar uma cervejinha depois de caminharmos bastante pela ilha num calor do cão, imaginem se encontrássemos ai… o Melhoooor Chopp, o Chopp do Bar do Português, o mais cremoso, o mais gostoso, o mais gelado, o mais premiado… ai que saudade! Delirei agora… rsrsrsrsrs.

DSC08932

DSC08935

Bem, dentro desse prédio, que num delirio, vislumbramos um Bar do Português… existe um pequeno museu que conta a história das ilhas. E lá estava ele… quem eu procurava, Henri Charrière, que escreveu o famoso livro Papillon e que acabou virando filme, um dos presos mais ilustres da Ilha do Diabo.

DSC08930

Não deixamos é claro, de assinar o livro de visitas.

DSC08929

Ai está a Ilha do Diabo, mais ou menos uns 300m de onde estamos, na Royale. Imagino Papillon estudando a corrente, que realmente é muito forte entre as ilhas, para saltar em cima de sacos de côco e conseguir fugir depois de mutio tempo e sofrimento. Liberdade… o que é a liberdade? Acho que só conhecemos o sentido real quando a perdemos, do contrário não nos damos conta do quanto ela é importante, afinal ela existe e estamos acostumados com ela… é muito louco isso.

Aqui na Guiana dizem que ninguém nunca fugiu da Ilha do Diabo e não acreditam na história do livro, mas a verdade é que Henri Charrière, colocou as Iles de Salut no mapa depois do lançamento de seu livro e filme, isso ninguém pode negar.

DSC08891

DSC08964

Continuamos nosso passeio pelo passado e encontramos em uma parte plana no alto da Ilha algumas construções como, uma Igreja, cozinha, hospital e a carceragem, tudo com cara de quartel, ou melhor… estava mais para campo de concentração.

DSC08939

DSC08948

DSC08950

Continuamos andando e tivemos uma miragem… parecem barris de chopp, será?

DSC08953

E eram barris, mas não tinha chopp… o que nos restou foram as latinhas de Heineken, pelo menos estavam geladas.

DSC08955

DSC08960

No caminho de volta… olha lá, o Andante, já ansioso pela nossa chegada. Eita, mas esse barco ta ficando mimadão. Rsrsrs. Foi um dia maravilhoso e uma viagem no tempo.

DSC08938

4 comentários:

Vani Lamberti disse...

Que legaaaallll!!!!!Sabe filha lendo o que vc escreve eu tenho a nitida impressão de estar ai pertinho de vcs, que bom, fecho os olhos e posso sentir vc do meu ladinho,sinto até seu cheiro; que saudades!!!!!amo vcs muito, sintam-se beijados e abraçados por mim, com muito amor, ficam com Deus....
Sua mãe boba Vani

Mauricio e Silvia disse...

Paulinha e Fernando

Parabéns pela internacionalidade ( sei lá se essa palavra existe... rsrsrsrsrs ) Muito dez, fico arrepiado lendo sobre essas histórias que vcs vão passando. Aproveitem ao máximo toda essa cultura !!!

Abraços

Mauricio e Sílvia

Mario Bocamarela disse...

Paula, parabens! Que exagero de detalhes! É por isso que acompanho diariamente o blog. Cada dia a gente se sente um companheiro de viajem a mais. Continuem, sim.... Sua mãe expressou tudo!

Meire Dias disse...

Paulinha, literalmente que viagem!!!!
Só quem leu livros de aventuras e Papillon, sabe do que vc está falando. A emoção de estar aí vivenciando cada linha deve ser demais!. Um dia acabo pedindo carona. Beijo e boa viagem